sexta-feira, 2 de fevereiro de 2007

Adoro o Ricardo Araújo Pereira

Nuno Markl, esse GRANDE senhor do humor nacional, fala normalmente no seu blog da correspondência que tem com outros GRANDES senhores do humor nacional, como Bruno Nogueira, Ricardo Araújo Pereira, e outros dos quais eu agora não me lembro. Mas se este post é sobre RAP (não estou a falar do estilo de música a que constantemente chamam de Hip-Hop, estou a falar mesmo de Ricardo Araújo Pereira), porque é que eu estou a falar do Markl? Simples. Porque este post começou a partir do programa "Diz Que É Uma Espécie De Magazine" do último Domingo. Confusos? Vou explicar.
No Domingo passado, RAP (cá está...) parodiou juntamente com Zé Diogo Quintela (para a frente, ZDQ) o vídeo que o Prof. Marcelo Rebelo de Sousa colocou no YouTube, no qual explicava as razões pelas quais votaria "Não" no referendo à despenalização da Interrupção Voluntária da Gravidez. Aqui fica a paródia ao tal vídeo:



A caracterização de RAP está, depois das de Salazar (esperem até ao fim que vale a pena) e Valentim Loureiro (a melhor de todas), espectacular.
Continuando, Markl diz neste post que, ao que parece, RAP tem recebido "agradáveis insultos" por e-mail devido a esta caracterização e que até já há um e-mail a correr na Internet para fazer uma queixa ao Provedor da RTP, Paquete (de) Oliveira. E continua, dizendo que o Humor deve ser imparcial (e lembrando a "Grande Entrevista" que RAP deu há um par de semanas), coisa com a qual eu concordo em pleno.
Markl continua, colocando depois a crónica desta semana que RAP faz para a revista Visão. Eu aconselho-vos a ler o texto porque o que vem para a frente é o meu comentário ao texto e a citação do comentário que coloquei no blog Markliano.
RAP, tal como eu e Nuno Markl, é a favor da despenalização do Aborto (não é do aborto, é da sua despenalização, são coisas totalmente diferentes) e cita na crónica um e-mail de uma família extremosa, conservadora, grande e (provavelmente) católica.
Um dos filhos da senhora que enviou o e-mail, identificado na crónica como N., diz que "Os GF são uns totós!". O meu primeiro comentário quanto a isto é "o miúdo tem um desenvolvimento cognitivo muito rápido! 6 anos e já sabe que os GF são uns totós!" Aliás, RAP diz constantemente "Repare, eu sou um palerma".
RAP faz, na sua crónica, uma observação curiosa: se os do "Não" defendem tanto a ideia de que uma mulher que faz um aborto é "uma assassina", então deveria levar com a pena máxima (25 anos) em vez dos 3 anos, porque o crime que ela comete é homicídio premeditado. Mas depois avisa que este tipo de homicídio já é permitido na lei, pois uma mulher tem a escolha de abortar se o seu filho for produto de uma violação, ou se houver "malformação do nascituro", ou se a mulher puder ficar com problemas de ordem física e psíquica. Tudo o que ele diz nesta crónica é verdade, principalmente o final da mesma. Leiam. A sério, leiam. E agora, leiam o meu comentário, retirado dos comentários do blog do Markl:
o RAP está em grande!
obrigado por esta pérola, Markl!
E já agora, os senhores L. e F. deverão explicar aos filhos que o aborto é
uma acção humana, ou seja, parte de um motivo, procede-se a uma (nada fácil)
deliberação e a uma (ainda mais difícil) decisão. E já agora, uma pergunta: a
vossa filha deve querer ir/ser o quê? Freira Chocolateira ou cantora que
acredita nas fadinhas? É que eu acho que esses lugares já estão ocupados
actualmente…


Eu acho que não vale a pena dizer mais nada. A não ser isto:
Não importa se são a favor ou não da Despenalização da IVG. Não importa se são a favor do Aborto. O que importa é que, no dia 11, se dirijam às urnas e votem. Nem que seja em branco, mas pelo menos cumpram um dos vossos direitos e, mais importante, um dever cívico.

Manuel Reis

Etiquetas: , , ,

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial